sexta-feira, 10 de junho de 2011

Lajes

Autoritarismo ou Falta de Treinamento

Alguns comerciantes de nossa cidade estão indignados com a forma de trabalho de alguns profissionais da Vigilância Sanitária de nossa Lajes.
Ontem a tarde estivemos tomando um cafezinho em um estabelecimento de nossa cidade lá no bairro Antônio de Melo e pudemos presenciar a insatisfação do proprietário daquele pequeno comercio. Ele nos contou que os funcionários da Vigilância Sanitária de Lajes estiveram por lá e o abordaram de forma mal educada, foram entrando, abrindo seu Freezer sem sequer pedir a autorização do mesmo, sem falar que eles nem deram um bom dia e nem disseram a que veio. Na ocasião, o pequeno comerciante chegou a convidar a sua esposa para se retirar do seu próprio estabelecimento, falando que os donos tinham chegado e estavam tomando posse, foram feitas diversas exigências absurdas e ainda ameaçaram de fechar o local se o mesmo não providenciasse uma reforma urgente no estabelecimento.
Em uma pequena pousada de nossa cidade, os mesmos funcionários chegaram e também foram logo impondo suas exigências, dando prazo para serem executadas, sem ao menos ouvir as explicações e nem conhecer as condições do pequeno comerciante.
Infelizmente as mesmas exigências não estão sendo exigidas por exemplo no Matadouro Público, no Aterro Sanitário de nossa cidade  ou em alguns grandes comércios de nossa cidade. Aí vem a pergunta! Porque será que existe essas diferenças?
Será que a lei não é feita de igual para todos? Ou será que estes profissionais só estão querendo mostrar serviço para alguma autoridade local?
Na verdade eles podem até está querendo exercer suas funções como determinam os seus superiores, mas a coisa não é bem assim não!
Primeiramente nossos gestores precisam conhecer de perto as condições financeiras de cada comerciante, aqueles que pagam em dias seus impostos, IPTU, ICMS, que estão gerando emprego e renda para vários pais de família de nossa cidade.
Vamos convocar estes pequenos comerciantes para uma conversa? Vamos ouvi-los? E depois vamos encontrar juntos uma solução para a melhor adequação nos seus estabelecimentos comerciais. Acreditamos que na base da conversa tudo pode se resolver melhor.